Clube do Choro de Santos tem nova sede 2


Redação

Num charmoso prédio do ano de 1905, bem no boulevard da rua XV de Novembro, próximo a Bolsa do Café, no centro histórico de Santos está a nova sede do Clube do Choro, lugar em que todas as quintas-feiras, a partir das 18h00 ocorrem os encontros e rodas de choro.

CALÇADÃO DA RUA XV

Fundado em 23 de abril de 2002, o Clube do Choro, que tem como patrono Aníbal Augusto Sardinha (Garoto), é uma associação sem fins lucrativos e desenvolve inúmeras ações culturais buscando preservar as tradições e difundir o choro.

Anualmente o clube promove eventos comemorativos ao ‘Dia Municipal e Nacional do Choro’, no mês de abril, e ao ‘Dia Estadual do Choro’, celebrado em São Paulo, em junho.

O clube mantém, há quatro anos, também, a Escola de Choro e Cidadania ‘Luizinho 7 Cordas’, que funciona nas dependências do Mercado Municipal, e o Núcleo Musical Vó Benedita, ambos na Vila Nova, região de cortiços, em Santos. Os projetos atendem 50 jovens alunos com cursos gratuitos de violão (de 6 e 7 cordas), bandolim, cavaquinho, flauta (transversal e doce) e pandeiro.

As rodas de choro procuram reunir alunos da escolinha, músicos profissionais e amadores possibilitando o encontro e intercâmbio de experiências, transformando-se em um ambiente propício à troca de informações sobre tudo o que acontece em relação ao choro.

A sede do clube já recebeu o “Sarau do Nassif”, uma roda de choro do jornalista e bandolinista Luís Nassif e seus convidados, e a gravação de cenas da série “Sete Vidas em 7 Cordas”, gravada pela e produtora Doblechapa Cinematográfica com o violonista Luizinho 7 Cordas. Com curadoria e apresentação do violonista Yamandu Costa, a série já é bastante conhecida desde foi lançada tendo espaço certo nas TVS públicas e na grade do Canal Brasil. A série conta a história do violão de sete cordas na música brasileira através das histórias de vidas de sete instrumentistas. O violonista Luizinho 7 Cordas que é um destes sete instrumentistas desta série é o patrono da escolinha de choro.

O Clube do Choro de Santos-OSCIP é presidido pelo pesquisador e radialista Marcello Laranja, tendo como vice-presidente, Luiz Antonio Pires, diretor administrativo e financeiro, Ademir Soares, diretor artístico Jorge Maciel, diretor secretário Renê Ruas dentre outros companheiros também diretores e como presidente do conselho de administração, Geraldo Pierotti.

Da esquerda para a direita: Marcello Laranja, Luiz Pires, Plácido Pereira e Renê Ruas. [Foto de Fernanda Luiz]

Da esquerda para a direita: Marcello Laranja, Luiz Pires, Plácido Pereira e Renê Ruas. [Foto de Fernanda Luz]

Um pouco da história do Clube do Choro de Santos

Fundado a 23 de abril de 2002 nas dependências do bar e lanchonete – atual comedoria – do SESC Santos.

O clube recebeu importantes visitas de personalidades do choro, da música e da imprensa, como as do saudoso Altamiro Carrilho (flauta), Déo Rian (bandolim), Joel Nascimento (bandolim), Zé Barbeiro (violão 7 cordas), Alessandro Penezzi (violão 6 cordas), os grupos Izaías e Chorões, Choro Rasgado, Pau e Corda, Fogo na Roupa, Cochichando, Choro das Três (ex-Balaio de Gato), Mauricio Carrilho (violão 7 cordas), Luciana Rabello (cavaquinho), Naylor “Proveta” Azevedo (clarinete), Stanley Carvalho (clarinete), jornalista Luis Nassif (bandolim), grupo Chorole (Israel), Choro Ensemble, Arnaldinho do cavaco, Paulo Moura (clarinete), Osvaldinho da cuíca, mestre José de Almeida Amaral Junior (autor do livro “Chorando na Garoa”), maestro Mário Albanese, Alexandre Ribeiro, Aleh Ferreira (bandolim), Rogério Souza (violão 7 cordas), Ronaldo do bandolim, mestre Zé Menezes, Beto Cazes (percussão), o próprio Reco do bandolim, mestre Elton Medeiros, Daniela Spielman…etc…etc

Dentre os artistas estrangeiros que já passaram pelo Clube, estão: maestro John Berman (clarinetista norte-americano), Anat Cohen (clarinetista israelense), Pia Kaufmanas (flautista dinamarquesa) e Naomi Kumamoto (flautista japonesa).

No Conselho do clube nomes conhecidos do choro: Egeu Laus Simas (designer gráfico e diretor do Instituto Jacob do bandolim), Luiz Araujo Amorim (Luizinho 7 cordas), jornalista Sérgio Cabral, Reco do bandolim (presidente do Clube do Choro de Brasília) e Cristina Caetano (filha do compositor Pedro Caetano).

O clube mantém relações com amigos e parceiros espalhados pelo Brasil, desde Belém do Pará até Porto Alegre (RS), o que fortalece o diálogo e a integração entre as pessoas e entidades que cultivam a tradição do choro. Fora do Brasil, a turma do Clube do Choro de Santos tem contato direto com Marco Ruviaro (Clube do Choro de Turin – Itália), Christiano Fischer (Alemanha), Danuzio Lima (Miami – USA) e Maria Inês Guimarães (Clube do Choro de Paris), que, coincidentemente, virá a Santos para uma apresentação no final deste mês de abril.

Quatro anos da Escola de Choro e Cidadania Luizinho 7 cordas

Há quatro anos mantemos a Escola de Choro e Cidadania “Luizinho 7 cordas” nas dependências do Mercado Municipal numa parceria com a Prefeitura Municipal de Santos. Já formamos a primeira turna, e, neste ano de 2015, formaremos a segunda.

Escola de Choro e Cidadania Luizinho 7 Cordas

Escola de Choro e Cidadania Luizinho 7 Cordas

Segundo Marcello Laranja, “o projeto não busca somente formar músicos, mas, fundamentalmente, cidadãos, para que sejam conscientes dos seus direitos e deveres”.

Além das aulas de música os alunos desenvolvem aspectos de colaboração, respeito mútuo, camaradagem, fraternidade, solidariedade, enfim tudo que envolve um cidadão na sua comunidade.

imprensabr
Author: imprensabr


Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.

2 thoughts on “Clube do Choro de Santos tem nova sede

  • Ismair Martins Vasconcelos

    Parabéns!!!!
    Lindo o trabalho de vocês. Abraços

  • geraldo cesar pierotti

    Parabéns a todos pela bela iniciativa.
    Abraços.
    Geraldo