Choro pra Cinco lança primeiro álbum no Clube do Choro


Redação

CD “Caminho dos Ventos” traz repertório que alia o tradicional e o inovador do gênero feito na cidade 

Brasília é uma das poucas cidades brasileiras das quais o chorinho faz parte da identidade cultural. Ele é, há décadas, tão presente entre os brasilienses que na Capital foi erguida a primeira escola voltada especialmente para o ensino do gênero. Da cidade, inúmeros grupos e instrumentistas foram exportados para o mundo, levando a certeza de que no Distrito Federal se faz chorinho de alta qualidade.

Reforçando esse contexto, o grupo Choro pra Cinco lança seu primeiro álbum “Caminho dos Ventos” com a proposta de homenagear as sucessivas gerações de compositores que construíram o choro de Brasília e, simultaneamente, representar o que é feito hoje na cidade. Dessa forma, o disco traz um repertório de compositores importantes que marcaram a cena local em diversas épocas e, ao mesmo tempo, uma boa perspectiva do choro feito por aqui atualmente.

Formado por músicos do cenário do choro brasiliense, o grupo é composto por Thanise Silva (flauta), George Costa (violão), Vinícius Magalhães (violão 7 cordas), Pedro Silva (cavaquinho) e Gabriel Carneiro (pandeiro), e se destaca por aliar o tradicional e o inovador. No disco, essa mescla está presente nas dez faixas, que se distribuem entre composições autorais feitas pelos integrantes do grupo e de grandes nomes do choro brasiliense. “O álbum é fruto de uma pesquisa realizada em cima do trabalho das gerações anteriores de grandes chorões da cidade. É uma tentativa de mostrar a cara do choro em Brasília”, explica o violonista George Costa.

Choro pra Cinco01_ foto rafael dietzsch e andré maya

O grupo remete à sonoridade desenvolvida pelos regionais do choro, acrescentando novos elementos que não fujam à sua proposta musical. Em seu repertório são constantemente apresentadas composições novas, que agregam outros elementos ao choro tradicional em uma roupagem valorizada por arranjos que o renovam e respeitam suas tradições.

No disco, é possível perceber as formações diferentes dos integrantes do grupo. Cada um dos integrantes foi agente de uma formação distinta, mas todos trazem consigo um traço em comum: o interesse pelo choro. “O compromisso de poder ousar e inovar, sem se distanciar de registros sonoros anteriores, é o que move o Choro pra Cinco”, disse Gabriel Carneiro, que toca pandeiro no conjunto.

Na primeira música do disco, intitulada “Âncora”, composta por George Costa, é possível perceber a junção do choro mais tradicional com os arranjos modernos do jazz. “Busquei trazer a linguagem do jazz na harmonia e na melodia para dar um ar mais contemporâneo à faixa, uma junção dos estudos que fazia no início deste ano”, disse o violonista.

A música, “Choro pra cinco”, traz um chorinho mais rápido com uma pegada explorando bastante o violão, que dialoga com a leveza da flauta. A composição foi presente de um dos maiores nomes do violão 7 cordas no Brasil, Rogério Caetano. O disco também traz composições de Léo Benon, Jaime Ernest Dias, Alencar 7 Cordas, e Rafael dos Anjos, violonista que, hoje, toca com nomes consagrados da música popular brasileira, como Arlindo Cruz. Outro destaque é participação dos instrumentistas Ocelo Mendonça (violoncelo) e Bruno Patrício (saxofone) que incrementam ainda mais os arranjos e melodias do choro sugerido pelo grupo no CD.

Apesar de tal pluralidade, o álbum tem uma sonoridade coesa em que todos trabalham na busca de uma proposta musical comum. “É fácil perceber a importância do legado dos que nos precederam, especialmente em uma cidade recentemente moldada pela confluência entre diferentes culturas. Tentamos desvendar o nosso tempo, com uma homenagem aos que o construíram e também aos que atualmente o fazem pulsar. É exatamente nisso que consiste esse disco. Assim, só podemos agradecer e desejar que os ventos vindouros tragam a mesma grandeza que chegou até nós”, conclui Gabriel Carneiro.

Faixas do disco “Caminho dos Ventos”

1 – Âncora (George Costa) – 3:06
2 – Choro pra Cinco (Rogério Caetano) – 2:29
3 – Coladinho (Alencar 7 Cordas) – 3:11
4 – Sutil (Hamilton Costa e Sebastião Tapajós) – 3:18
5 – Pergunta pra Rafa (Vinícius Magalhães) – 4:03
6 – Antes que eu me esqueça (George Costa e Vinícius Magalhães) – 3:44
7 – Comendo Sagú ( Léo Benon) – 2:58
8 – Pela Sombra ( Thanise Silva) – 4:21
9 – Valsa sem final (Jaime Ernest Dias) – 3:57
10 – É Nessa que eu vou (Rafael dos Anjos) – 4:22
10 É nessa que eu vou – Rafael dos Anjos – 4:22, com participação Bruno Patrício saxofonista

Ficha técnica

Arranjos: Choro pra Cinco
Direção musical: Fernando César
Participações: Ocelo Mendonça (4 – Sutil), Rafael dos Anjos (5 – Pergunta pra Rafa), Bruno Patrício (10 – É Nessa que eu vou)
Gravação e Mixagem: Brasília, Maio de 2016, Feedback Studio – Valério Xavier, violão da faixa 5 (Pergunta pra Rafa) gravado por Dudu Maia, no estúdio Casa do Som
Masterização: Rio de Janeiro, setembro de 2016, Post Mastering – André Dias
Produção executiva: Daniel Sarkis
Foto da capa: Xavi Bou
Projeto gráfico: André Maya e Rafael Dietzsche

Saiba mais sobre o Choro pra Cinco

Nos últimos quatro anos, o Choro pra Cinco fez-se constantemente presente em apresentações e projetos culturais realizados em Brasília. Regularmente se apresentou em casas de shows da cidade e participou de iniciativas em plataformas digitais, como o Sofar Sounds, o Valendo no Orbis e a Virada do Choro. Além disso, há três anos se apresenta no Clube do Choro de Brasília, em concertos anuais sempre com lotação esgotada nos projetos “Tributo a Baden Powell”, “João Donato 80 anos” e “Para Sempre Dominguinhos”.

Serviço
Show de lançamento do álbum “Caminho dos Ventos”
Data: 30/11, 01 e 02/12
Horário: 21h
Local: Clube do Choro de Brasília
Ingressos: R$ 30 e R$ 15 meia entrada
CI: 18 anos