Ritual de abertura da redação da Revista do Choro


Leonor Bianchi

Quando criei a Revista do Choro (E-ditora), em 2014, nunca imaginei que ela pudesse ter um poder de alcance tão grande, transatlântico! O choro está no mundo inteiro e eu, despretensiosamente, hoje reporto está cena musical nascida no Brasil também para o mundo através da revista, que têm leitores em mais de 30 países e já foi convidada para ser publicada em Portugal, Itália, Estados Unidos e França. Músicos consagrados renovam seu espaço na mídia com a revista e novos compositores, instrumentistas e produções fonográficas independentes têm destaque na publicação. A revista abre espaço para todos! E em falando em abrir espaço, a redação vai abrir as portas a partir deste mês para quem quiser conhecer seu acervo, saber mais sobre como funciona uma redação jornalística, e para quem quiser visitar a exposição permanente que montei sobre a história do choro contada através dos grandes pais do choro, como Joaquim Callado, Anacleto de Medeiros, Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazareth, João Pernambuco, Catulo da Paixão Cearense, Pixinguinha, Jacob do Bandolim… para citar alguns dos precursores. No próximo sábado, dia 7 de outubro, a partir das 16h, quem chegar será muito bem vindo para o nosso grande ritual de abertura da redação. Vai ter batuque e roda de capoeira com o conhecedor mor da arte, Gil Velho, música ao vivo, uma grande roda de choro e é claro que eu vou contar um pouco da estória da revista, da minha estória no jornalismo, da Casa Cultural Mata Atlântica, que sedia a redação -, estamos no Mapa de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, desde 2012, antes da revista existir -, e sobre choro. A entrada é franca. Espero todos vocês aqui em casa, na redação! Tragam seus instrumentos! Um beijo!

Leonor Pelliccione Bianchi – editora Revista do Choro www.revistadochoro.com