A crítica musical de Lúcio Rangel e sua Revista da Música Popular


Leonor Bianchi

Embora seu discurso fosse vanguardista e nacionalista, sua crítica musical na prática era feita para uma ‘música das elites’. Estudando a biografia e a práxis jornalística do pesquisador de música popular brasileira Lúcio Rangel venho percebendo uma forte contradição entre seu discurso e sua prática. O criador e editor da Revista da Música Popular (1954 – 1956), autor de livros sobre música popular brasileira, amigo íntimo de Tom Jobim e Vinícius de Moraes teria sido uma personagem essencial para se amalgamar no Brasil uma crítica musical voltada às elites?

É sobre isso que falo nos vídeos a seguir.

Assista!

A foto que ilustra este artigo pertence ao acervo Lúcio Rangel, do Instituto Moreira Salles.

Na foto estão Lúcio Rangel (à direita), ao centro, o escritor Paulo Mendes Campos, e à esquerda um amigo deles cujo nome não se sabe.