Capital da música erudita no mundo, Viena recebe a segunda edição do Wiener Choro Festival   Recently updated !


Leonor Bianchi

Começa amanhã, na capital da música erudita do mundo, Áustria, o segundo festival de choro de Viena. O choro, gênero mais expressivo da música popular brasileira está sendo representado naquele país por um núcleo de músicos brasileiros que lá residem e criaram o Wiener Choro Klub.

O festival terá concertos musicais e oficinas de música. Dentro da programação o destaque fica para o lançamento do CD BATUTAS, pelo Wiener Choro Ensemble, que presta uma homenagem ao centenário dos Oito BATUTAS na França e na Argentina, celebrado este ano. O CD apresenta 12 músicos da cena vienense tocando música brasileira. Os arranjos são de Antônio de Pádua, Marco Antônio da Costa e Michi Ruzitschka. Marcelo Vianna, bisneto de Pixinguinha, liberou os direitos autorais da música “Os Oito Batutas”, que eles interpretam no disco. Excelente! O CD estará disponível nas plataformas a partir do dia 20 de julho pela BrasaSounds Records.

A Revista do Choro está exibindo a série especial Do Palais ao Shéhérazade, do Shéhérazade ao Empire Theatre: o centenário dos Oito Batutas em Paris e na Argentina. Clique aqui para assistir o primeiro episódio, e INSCREVA-SE no canal!

Na última terça-feira, o regional fez um concerto no centro cultural da embaixada do Brasil em Viena, onde foi ovacionado pelas maiores representatividades políticas do Estado e pelo embaixador brasileiro em Viena, Nelson Tabajara.

Os músicos ao lado do embaixador Nelson Tabajara após a apresentação. Foto de Alexander Seidel.

 

 

O embaixador do Brasil na Áustria, Nelson Tabajara, foi um grande incentivador do concerto, segundo o músico Antônio de Pádua.

 

 

This slideshow requires JavaScript.

 

Ontem, depois dessa apresentação histórica para a alta sociedade da cultura vienense e também para o Brasil, entrevistei Antônio de Pádua (46), músico brasileiro, diretor musical do festival, que nos conta em detalhes a produção, e comenta como a cena musical da capital da música erudita no mundo é, e como ela recebe um festival de choro, gênero originário das músicas clássicas reproduzidas nos salões europeus há quatro, cinco seis séculos atrás.

O produtor do festival, Antônio de Pádua. Créditos: Fernanda Nigro.

 

Leia agora a entrevista

 

MAS ANTES, FOMENTE!

ASSINE A REVISTA DO CHORO!

PARA ASSINAR CLIQUE AQUI!

 

REVISTA DO CHORO

1. O que é o Wierner Choro Klub?
2. Qual é a estrutura do projeto? O festival tem patrocínio? Conte um pouco sobre a produção, é uma produção independente, quem está à frente do festival?
3. Onde ele acontecerá?
4. Para qual público se direciona?
5. Quem são os músicos que vão se apresentar?
6. Qual é a programação do festival: rodas de choro, concertos e oficinas de choro? Caso sim, vocês terão aulas de quais instrumentos, e quem serão os professores das oficinas?
7. E aí na Áustria, como é a cena do choro, quantos clubes do choro existem, e quem são esses músicos?

ANTÔNIO DE PÁDUA: Desde 2013 nós estamos viajando pela Europa. A primeira turnê vim com a família, o meu filho mais velho ficou na universidade de Graz, aqui na Áustria. Fez uma prova para a primeira universidade de jazz da Europa, e está por aqui e desde 2013. Nós ficamos vindo visitar e fazer turnês, e em 2019 resolvemos ficar de vez em Viena. Já era um sonho antigo meu fazer um movimento de música brasileira por aqui, e quando me juntei com outros amigos que tinham o mesmo desejo, não deu outra, fundamos o Clube do Choro de Viena.

Já teve um movimento de choro aqui, mas dessa vez veio com mais força. Eu acho que toda essa facilidade que temos de comunicação via internet facilitou bastante nosso trabalho, mesmo com uma pandemia no meio.

Então, tudo isso fez com que a gente tivesse uma projeção bem maior do que os nossos os músicos pioneiros daqui, que desbravaram, a cena musical de Viena trazendo a música Brasileira.

Nesse período, gravamos dois álbuns: o primeiro Viena Brasileira, com composições nossas em boa parte do CD, um trabalho completamente autoral, e algumas regravações com clássicos do choro.

E o segundo, o Oito Batutas, em homenagem a aos grandes nomes da música brasileira, os verdadeiros pioneiros: Pixinguinha, Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazareth, Patápio Silva, Joaquim Antônio Callado, João Pernambuco, Xisto Bahia.  Este projeto foi uma homenagem ao centenário do gripo Os Oito Batutas, primeiro grupo musical brasileiro a fazer uma  turnê pelo velho continente, mostrando a nossa música. Grupo do grande Alfredo da Rocha Vianna Júnior, mais conhecido como Pixinguinha.

Falando um pouco da cena musical de Viena, ela é muito voltada para a música clássica na sua essência. Viena é conhecida como a capital da música clássica e a gente vê facilmente aqui andando pelas ruas, uma grande quantidade de jovens e adultos com instrumentos, salas de concerto; e tudo isso incentivado e com o suporte do Estado.

Já na cena popular, temos o jazz, com universidades, Jazz Clubs, que são lugares onde os estudantes e músicos utilizam para praticar o jazz e fazer concertos.

E agora estamos trazendo uma nova vertente da música popular para a cidade mostrando essa diversidade brasileira, pois muita gente conhece a música popular brasileira pela bossa nova. Então, a gente vem com o Clube do Choro mostrar que temos a bossa nova, uma música riquíssima, sofisticada que tanto difundiu a nossa cultura para o mundo, mas que o Brasil é muito diverso e a música brasileira tem uma infinidade de ritmos: maracatu, frevo, bumba meu boi, ritmos afro brasileiros do candomblé…, e o Clube do Choro tem essa missão de mostrar, principalmente para os instrumentistas, que a fusão da música clássica com a música e os ritmos populares do Brasil foi o  gerou uma música maravilhosa que vem conquistando o público Europeu: o nosso querido choro.

Posso destacar na programação do festival:
– O  Lançamento do álbum, Oito Batutas.
– O primeiro concerto oficial com os alunos do Clube do Choro.
– E o trabalho autoral maravilhoso do Mike Scharf, que é um guitarrista de Jazz, e que está inserido no Clube desde o início com o violão de  7 cordas.

Wiener Choro Festival #2
24-26 June 2022
COCO Bar Vienna (U-Bahn Bogen 34-35, 1080 Wien)

PROGRAMME
____________________________________________
FRIDAY – 24 June
SHOWS
> 20:30 : Wiener Choro Ensemble – CD Batutas
> 22:00 : Roda de Choro
___________________________________________
SATURDAY – 25 June
> 11:00-13:00: Workshop #1 – The keys and secrets of the Choro music genre with Flávio Nunes (all instruments & all levels)
> 14:00-15:00: Documentary “Nas Rodas de Choro” (Milena SÁ, 2011)
SHOWS
> 20:30 – Mike Scharf & Urban Dreamtime (AUT)
> 22:00 – Rodas de Choro
____________________________________________
SUNDAY – 26 June
> 15:00-16:00: Workshop #2 – Collective practice of choro (all instruments and all levels)
SHOWS
> 18:00 – Concert by the students of the Wiener Choro Klub
> 19:30 – Regional de Choro (Orchestra) with special guests.
____________________________________________

Musical direction: Antônio DE PÁDUA & co-diretor: Marco Antônio da COSTA
Production: Étienne CLÉMENT
Graphism: Jonas LOPES
PARTNERS
COCO Bar
Wiener Choro Klub & APIBO Production
Brazilian Embassy in Vienna
Restaurant Carioca in Wien
Lisboa Lounge
Bossamag.com

Crédito das fotos da galeria: Society Magazin

CONHEÇA O LIVRO NÓS SOMOS BATUTAS PUBLICADO NO CENTENÁRIO DA FORMAÇÃO DOS OITO BATUTAS PELA EDITORA FLOR AMOROSA

This slideshow requires JavaScript.

 

imprensabr
Author: imprensabr