O Sydney Choro Club


Redação

O Choro na Austrália está em formação, mas pela ótica do otimista vê-se o Chorinho em crescimento, seja em quantidade de músicos/ pessoas praticando o estilo, seja na proporção de acontecimentos relacionados ao gênero.

Roda de choro de um ano do clube do choro de Sydney

Roda de choro de um ano do clube do choro de Sydney

Melbourne e Sydney talvez encabecem o quesito situação, pois notoriamente acontecem mais eventos de Choro nas duas cidades, mas Brisbane, Adelaide e Perth também tem suas Rodas e músicos afins de promover o gênero.

Ao redor do território pouco há e pouco houve no que se refere ao aqui também chamado “Brazilian Jazz” mas o nome vem causando curiosidade e cada vez mais pessoas querem saber “o que é que o brazilian jazz tem”

Nesse contexto de raros projetos relacionados ao Choro e de uma demanda existente e latente nasce em 2017 o SYDNEY CHORO CLUB projeto idealizado por Douglas Aguiar (violonista de formação e pandeirista no projeto) que teve na flautista Sara Muller a parceria e o compromisso para desenvolver um projeto tão sério como é a difusão do Chorinho fora do Brasil.

No princípio a ideia era de formar um grupo para fazer apresentações e assim foi concebido com a entrada de Pedro Lício (violão de 7 cordas) e Kadu Aguilera (cavaquinho).

O grupo conta hoje com participações frequentes de: Roberto Steyer (bandolim) Ricardo Steyer (violão 7 cordas) Lukas Mayo (sanfona) George Machado (baixo) Laura Balthazar (Clarinete/clarone) Stamatis Valacos (violão 7 cordas)

A necessidade de expor a música ao público australiano somada à vontade dos músicos de se reunirem para tocar chorinho levou o projeto a se direcionar à organização de uma roda de Choro semanal, e desde maio de 2017 os músicos citados acima e mais as habituais participações de Mano Mora (percussão) Anthon Kur (violão 6 cordas) Julia Ciarlini (percussão e voz) Caue Felix (pandeiro) se encontram para praticar sobretudo o repertório contido nos 3 livros de Choro de Almir Chediak.

“Temos um grupo de whatsApp com mais de 20 membros e por ali trocamos informações, partituras e gravações. Há pouco a galera de sopro se articulou criando um grupo para intercambio de partituras em Bb, lá também recebemos fotos e videos feitos por amigos dos músicos”, conta Douglas Aguiar, violonista e um dos fundadores do clube. 

No ano passado o Sydney Choro Club recebeu o convite do professor da Universidade de Sydney, Mano Mora para a realização de uma série de eventos junto ao corpo docente e discente. Juntos fizeram um workshop, uma gravação e uma apresentação com o intuito de compartilhar conhecimentos e informações sobre o Chorinho, além de praticar em grupo a linguagem do gênero como também registrar o trabalho feito pelos músicos.

Workshop com os professores da universidade de Sydney

Workshop com os professores da universidade de Sydney

Também em 2018 o grupo foi convidado para apresentações na Embaixada do Brasil em Canberra no carnaval e no dia da independência tendo tocado um arranjo dos hinos do Brasil e da Austrália adaptados ao estilo Choro com grande aceitação do público e autoridades.

Apresentação dos alunos e professores da Universidade de Sydney

Apresentação dos alunos e professores da Universidade de Sydney

Um momento de uma das rodas de choro do Clube do Choro de Sydney e um registro da gravação dos músicos do Clube com professores da Universidade de Sydney

Um momento de uma das rodas de choro do Clube do Choro de Sydney e abaixo um registro da gravação dos músicos do Clube com professores da Universidade de Sydney

IMG-20190401-WA0008

Ouça os podcasts com Sara e Douglas, fundadores do Sydney Choro Club, gravado especialmente para a Revista do Choro.

Podcast com Douglas Aguiar, violonista e um dos fundadores do Sydney Choro Club

Ouça daqui a pouco um podcast com a soprista Sara Müller, integrante do Sydney Choro Club.