A classe artística em Portugal e o Coronavírus – Podcast com o pianista Eduardo Jordão


Leonor Bianchi

A nova realidade global imposta pelo Covid 19, o coronavírus, trouxe mudanças radicais na vida de todos os seres humanos que habitam o planeta Terra, sejam pobres, ricos, democratas, republicanos, tenham estes ideologia de direita ou de esquerda, sejam crianças, jovens, adultos ou idosos. Todos tivemos e estamos tendo nossa realidade alterada em diversos sentidos em função das restrições impostas pelos chefes de estado como medida de controle do vírus descoberto na China, mas que rapidamente atingiu e deixou milhares de vítimas na Itália, Espanha, Portugal, avançou para a França, Reino Unido, demais países da Europa, e já é uma realidade em nosso país.

Não fosse apenas o trauma e a depressão impostas pelo estado de confinamento no qual nenhum cidadão deve ir às ruas para não propagar a possibilidade de contágio pelo vírus, ninguém está trabalhando, e a economia mundial está ameaçada.

Os setores da economia que envolvem a cadeia produtiva do segmento da Cultura não escapou das consequências dessas restrições. Neste contexto, em muitos países teatros, casas de espetáculos, restaurantes, bares, circos e espaços públicos que agregam manifestações culturais reunindo um grande número de pessoas foram fechados, evitando assim a aglomeração do público e consequentemente mais vítimas do coronavírus.

Hoje conversei com o pianista português Eduardo Jordão, professor de música e piano do Conservatório de Música de Setúbal, próximo a Lisboa, Portugal, sobre como seu país está enfrentando o combate à propagação do coronavírus, e como a classe artística está se portando diante do cenário. Segundo ele foi criado a uma medida pelo primeiro ministro de Portugal, António Costa, na última semana, instituindo uma verba mensal como uma espécie de ajuda financeira provisória para todos os profissionais liberais do país, dentre eles artistas e músicos, durante este período .

Portugal está em estado de emergência, e já acusa 12 mortes pelo coronavírus.

Eduardo é um exímio pianista com vasto repertório de música popular e erudita. Amante do choro, desenvolve um trabalho com o gênero e tem belíssimas interpretações de clássicos de Ernesto Nazareth, Jacob do Bandolim, Pixinguinha e Hermeto Pascoal.

Vamos ouvi-lo.