Os baús do choro



Leonor Bianchi Entrevistei o biógrafo do imortal flautista chorão Benedicto Lacerda. Ele esclareceu vários pontos polêmicos a respeito da dupla Benedito e Pixinguinha, e diversos outros. Nossa conversa faz parte da produção jornalística para a gravação de um depoimento do Sidney Castello Branco para a série ACERVO REVISTA DO CHORO, que estreou em abril deste […]

A DUPLA BENEDICTO LACERDA E PIXINGUINHA, E OUTROS FATOS MARCANTES ...


Leonor Bianchi NOVO DOCUMENTO escrito por JACOB DO BANDOLIM encontrado no acervo de ALMIRANTE no MUSEU DA IMAGEM E DO SOM monstra um lado do músico ainda desconhecido: A MITOMANIA. Para ver o documento mencionado no vídeo onde Jacob do Bandolim mente sobre sua origem e ler o artigo sobre a mitomania de Jacob do […]

JACOB DO BANDOLIM MENTIU SOBRE SUA ORIGEM EM AUTOBIOGRAFIA QUE ...



Leonor Bianchi Museu da Imagem e do Som RJ, responsável pela guarda do acervo de Jacob do Bandolim fica de dar entrevista à Revista do Choro, mas era mentira, não deu, travou o acesso ao acervo. Uma vergonha como operam os servidores do Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro. Um absurdo […]

Especial de aniversário de JACOB DO BANDOLIM na Revista do ...


Leonor Bianchi Já faz tempo escrevi um artigo para a Revista do Choro comentando uma entrevista que Pixinguinha deu para a Revista do Rádio, em 1950, contando como foi a inspiração para compor sua música mais famosa: Carinhoso. Agora gravei um vídeo para a série A história do choro através da imprensa falando sobre essa […]

CARINHOSO: Pixinguinha conta como compôs a melodia, Braguinha pôs letra, ...


Leonor Bianchi A chegada e evolução da imprensa e dos cadernos de cultura (do jornalismo cultural) no Brasil Este ano vivemos o bicentenário da liberdade de imprensa no Brasil. A Revista do Choro é um marco nessa história! Uma publicação independente cuja pauta central – O CHORO -, é um tema praticamente esquecido pelos editores […]

A HISTÓRIA DO CHORO ATRAVÉS DA IMPRENSA | Chegada e ...





Leonor Bianchi Há um ano atrás entrávamos em quarentena… Este é o segundo ano que não há roda de choro no Dia Nacional do Choro, aniversário de Pixinguinha (23 de abril de 1897 – 17 de fevereiro de 1976)… Clique aqui e saiba mais sobre a reedição deste clássico de Ary Vasconcelos Ouça o podcast  […]

O Dia Nacional do Choro, aniversário de Pixinguinha – Por ...



  Assine a Revista do Choro AGORA e ganhe o livro! Para assinar a revista clique aqui!         VALOR DO LIVRO R$ 180,00 + FRETE R$ 15,00 VALOR TOTAL DA COMPRA R$ 195,00 PAGUE VIA PIX OU TRANSFERÊNCIA BANCÁRIA PIX CPF 07242216702 – Leonor Pelliccione Bianchi Bradesco Agência: 0540 Conta corrente: 12035-9 CPF 072 […]

Compre aqui a reedição do clássico “Carinhoso Etc – história ...


CARINHOSO etc  História e Inventário do Choro Olá, amigos(a) e leitores(as) da Revista do Choro! Eu sou Leonor Bianchi, jornalista, editora da Revista do Choro, e quero convidá-los para este momento especial na vida da Editora Flor Amorosa, essa editora tão dedicada ao choro e à música popular brasileira, editora da Revista do Choro (www.revistadochoro.com), […]

CARINHOSO etc: história e inventário do choro


Leonor Bianchi “J’ai fait ‘Carinhoso’ en 1917. À cette époque, nos musiciens ne reconnaissaient pas le Choro comme ça en deux parties, un Choro devait avoir trois parties. Alors, j’ai composé ‘Carinhoso’ et je ne l’ai plus joué. Jouer ‘Carinhoso’ dans cet environnement, je n’allais pas le faire… personne n’allait l’accepter! ‘Carinhoso’ était une polka, […]

‘Carinhoso’, de Pixinguinha, était une polka



Leonor Bianchi A turma de Pixinguinha! Olha essa turma! Eram todos  amigos do Pixinguinha! A foto foi tirada momentos antes deles tocarem num Carnaval do Rio de Janeiro. A considerar que Pixinguinha integrou o grupo do Caxangá liderado pelo violonista, compositor e chorão João Pernambuco em 1914, essa foto deve ser dessa época. Olha Pixnguinha […]

Relíquia do folclore nacional!









Leonor Bianchi Quando lembramos d’Os Oito Batutas pensamos logo na liderança do grupo por Pixinguinha partilhada com Donga. Porém não podemos esquecer que Os Oito Batutas ‘surgiu/ saiu’ do Grupo do Caxangá, liderado por um dos maiores violonistas do mundo, o brasileiro semi-alfabetizado nascido no sertão miserável de Pernambuco: João Pernambuco. O grupo, criado por […]

João Pernambuco: um Batuta esquecido