Os violões de Jacob do Bandolim: A consolidação de um estilo de acompanhamento


Por Leonor Bianchi

Em pauta o centenário de Jacob do Bandolim na Biblioteca do Choro. Esta semana conversei com o professor de música e pesquisador Felipe Pessoa, que durante seu mestrado escreveu a tese ‘ Cuidado, violão! As transformações no acompanhamento dos violões nos conjuntos de choro. O artigo que você pode ler clicando aqui é um recorte da sua dissertação de mestrado e foi apresentado em 2012, no SIMPOM, congresso de aluno de pós-graduação, na UniRio (RJ).

“O foco do meu trabalho foi o desenvolvimento dos regionais, principalmente no modo de acompanhamento dos violões. Tal como Pixinguinha foi pedra fundamental nesse processo com os grupos de choro nas décadas de 1920 e 1930, é com Jacob que foi estabelecido o paradigma do regional, com um trabalho de violões mais elaborado e arranjado, não mais feito de improviso. Dessa forma, penso a história do choro a partir dos conjuntos que vão moldando o som do choro e sua linguagem, tendo em Pixinguinha e Jacob dois pontos de importantes contribuições”, resume o autor.

jacob segurando um violao